Estratégia de Desenvolvimento Europeu

O Plano de Desenvolvimento Europeu é um instrumento fundamental para a atualização, o aperfeiçoamento e o aprofundamento dos conhecimentos e competências de toda a comunidade educativa.

As necessidades da nossa instituição e áreas de melhoria identificadas estão relacionadas com as competências técnicas, culturais, linguísticas, sociais e relacionais dos nossos alunos, consideradas reduzidas, e o conhecimento limitado de novas metodologias de ensino por parte da classe docente.

Neste sentido, a Escola de Comércio do Porto pretende assentar a sua ação nos seguintes pilares:

  • processo de internacionalização da escola;
  • desenvolvimento de ações que permitam a aquisição de competências centradas nos alunos;
  • desenvolvimento de ações que permitam a aquisição de competências centradas no pessoal docente. 

Por conseguinte, os objetivos contemplados no nosso Plano de Desenvolvimento Europeu são os seguintes:

  • contribuir para melhorar e diversificar a qualidade e o volume de mobilidade de alunos e de pessoal docente, assim como o número de parcerias com outros países;
  • promover práticas pedagógicas diferenciadas e diferenciadoras, com qualidade e inovadoras;
  • criar ambientes de aprendizagem estimulantes e ricos em experiências pedagógicas de natureza diversa, pelo desenvolvimento de novos espaços educativos, aumentando a qualidade das práticas educativas e organizacionais;
  • suprir as necessidades de desenvolvimento de competências dos alunos, de forma a melhorar os seus resultados escolares e a combater o insucesso e o abandono escolar.

No que concerne ao primeiro pilar de atuação da ECP, o processo de internacionalização da escola insere-se num contexto de globalização com implicações económicas, sociais, políticas, educativas e culturais. A nova dinâmica imposta pela globalização obriga a uma definição de novas estratégias para um melhor posicionamento da escola em relação às suas congéneres. Neste sentido, a ECP estabeleceu como prioridade a consolidação de parcerias transnacionais anteriormente estabelecidas e a criação de outras com vista à criação de uma “rede” sólida de parcerias que viabilizem os propósitos de internacionalização da nossa instituição e a realização de mobilidades europeias.

As parcerias já realizadas e/ou participação em programas de mobilidade europeia foram as seguintes:

  • realização da Formação em Contexto de Trabalho, em Roubaix, França, em 1997, no âmbito do programa “Leonardo Da Vinci”
  • parceria com a Escola IES A Guía – Instituto de Educação Secundária: em maio de 2015, a ECP acolheu um professor desta instituição, cujo propósito da mobilidade foi o de contactar com as técnicas e metodologias que caracterizam o Marketing e o Comércio em Portugal
  • parceria com a Fundación Sopeña Badajo: no ano letivo 2016/2017, a ECP acolheu quatro professores deste colégio que, com esta mobilidade, pretendiam conhecer os planos dos cursos ministrados na nossa escola e as metodologias de ensino usadas nas disciplinas da área técnica
  • parceria com a escola dinamarquesa Tradium: no ano letivo 2016/2017, a ECP recebeu o Coordenador do Departamento de Relações Internacionais desta instituição para organização de uma parceria internacional com a nossa escola, que se realizou com sucesso. Em outubro de 2017, acolhemos 13 alunos desta escola, acompanhados por dois professores, que, ao longo de duas semanas, assistiram a aulas, conheceram empresas parceiras e realizaram visitas culturais.

Enquadrado no nosso plano estratégico de internacionalização, estivemos presentes em diversas conferências e simpósios, em diferentes cidades europeias (Barcelona, Roma, Valência, Salónica, Praga), na sua maioria, organizados pelo ECNAIS e pelo EFVET, visando conhecer novas práticas pedagógicas, metodologias facilitadoras do sucesso escolar e parceiros para projetos futuros de mobilidade transnacional.

Em 2017, três alunos da ECP participaram em formações-piloto, na República Checa, Bulgária e Grécia, durante uma semana, subordinadas à temática da Economia Social Solidária. Neste mesmo ano, na sequência da seleção da nossa instituição para a dinamização do Projeto de Autonomia e Flexibilidade Curricular, estabelecemos uma parceria com Xavier Aragay, criador do projeto “Reimagine Education Lab”, que visa um novo paradigma da educação, centrada no aluno, e que postula iniciativas e experiências de inovação disruptiva. Todos os professores receberam formação, ministrada pelo próprio, e está agendada uma nova sessão para fevereiro de 2018.

A ECP integra o Grupo Ensinus, um conjunto de organizações empresariais, inteiramente dedicadas à educação e ao ensino de todos os níveis e graus, desde a educação pré-escolar ao ensino superior, incluindo o ensino e a formação profissional, a consultoria e a investigação aplicada, em Portugal, Moçambique e na Guiné Bissau. Será objetivo da ECP aprofundar com as escolas nacionais e, sobretudo, internacionais programas de intercâmbio e parcerias ativas entre alunos e staff.

O Grupo Ensinus tem desenvolvido um conjunto de iniciativas conjuntas com a Liga dos Chineses em Portugal e, nesse sentido, a Escola de Comércio do Porto está a preparar ações de formação para comerciantes chineses com lojas na região Norte. Esta estratégia assume especial relevância se considerarmos a experiência da escola na preparação e dinamização de ações de formação de diferentes tipologias, desde jovens a adultos, empregados e desempregados.

Estados Unidos…..

Num outro âmbito, mas visando os mesmos propósitos, a ECP iniciou, este ano, a sua colaboração em projetos etwinning, que irão potenciar a professores e alunos contactos internacionais e o conhecimento de outras realidades, práticas e mercados.

Em suma, estas são, no momento, algumas das possibilidades efetivas de cooperação com instituições localizadas noutros países e que consideramos fundamentais na nossa estratégia de internacionalização.